Dicas Veganas

5 dos Melhores Restaurantes de São Paulo sob uma Visão Vegana

Visitamos 5 restaurantes renomados de São Paulo para trazer uma visão vegana sobre os menus.

Não é sempre seguro sair de casa de barriga vazia para visitar um restaurante não vegano que você não conheça. Não, pelo menos, se você for vegano ou vegetariano. Mas, arriscando ter de recorrer à geladeira de casa depois, decidimos nos aventurar no universo gastronômico de São Paulo e visitar 5 dos melhores restaurantes não veganos da cidade: Arturito, D.O.M,  Jamile Restaurante, Maní e Tuju. O que a gente achou? Te conto agora:

Arturito

O Arturito, restaurante de Paola Carosella, fica lindo a noite e parece muito interessante para jantares românticos. Sinto, no entanto, a obrigação de ser completamente honesta com vocês e dizer que falta um bocado para que possamos considerá-lo um restaurante vegan-friendly.

Bom, não foi a minha primeira vez lá. Alguns anos atrás, eu e minha família comemoramos o meu aniversário lá e, infelizmente, fomos tratados com bastante indelicadeza. Na ocasião, enviei um e-mail para o restaurante contando o ocorrido e recebi um retorno bastante cordial. Resolvi dar uma segunda chance, mas a indelicadeza e despreparo do staff se repetiram, prejudicando a experiência.

Agora, gastronomicamente falando, também fiquei bastante frustrada. Pedi uma salada de entrada, mas teve de vir sem grande parte dos ingredientes por não serem veganos, então, acabou ficando meio sem graça. No cardápio havia um prato principal vegano- aleluia, pensei- mas não me agradou muito, estava sem sal e quase sem sabor. O que salvou mesmo foi o pão maravilhoso deles. Sério, eu poderia viver daquele pão. Se você gosta de pão, pode ser uma boa ideia passar por lá, aliás, dá para encomendar com antecedência e levar essa preciosidade para casa (aí sim, falou a minha língua).

D.O.M

Ceviche de Flores do D.O.M
Entrada do menu degustação vegano do restaurante D.O.M.

Considerado o 16º melhor restaurante do mundo (ó que chique!), o D.O.M nos proporcionou uma experiência 100% vegana inigualável. Eles trabalham apenas com menus degustação e já oferecem a opção vegetariana, mas eu perguntei se poderiam adaptar os pratos para veganos e aí, meus amigos, entendi o que significava uma comida digna de primeiras posições em ranking mundial.

Foram, entre aperitivos, entradas, pratos principais e sobremesas, mais de 10 degustações extremamente complexas, ricas e incríveis. Pela primeira vez, me desliguei do mundo enquanto comia e saí do restaurante em completo êxtase. O atendimento? Impecável.

Se você tiver algum (razoável) dinheiro sobrando, porque o precinho é muito salgado (gastamos cerca de R$1200,00 para duas pessoas), vale super a pena desfrutar dessa viagem que é o D.O.M.

Jamile

Pupunha do Jamile
Entrada de pupunha com castanhas do restaurante Jamile.

Inaugurado em 2015, o Jamile tem sua cozinha comandada pelo Chef Henrique Fogaça. De salão amplo, claro (fomos no jantar) e contemporâneo, o restaurante parece bastante apropriado para encontros entre amigos e familiares, mas não é lá muito romântico. Só que somos veganos e aí, nesse quesito, o Jamile não passou.

Fiquei por conta dessa entrada de pupunha com castanhas, relativamente saborosa, e de uma salada de rúcula com tomate (que eu poderia ter feito em casa, né?). Faltou opção vegana de prato principal ou a boa vontade para adaptar algum prato do cardápio. Sinceramente, é mais badalação por conta do chef celebridade do que apresentação de comidas incríveis, sabe? Nada contra, entretanto, também não é nada vegan-friendly.

Maní

Fui várias vezes ao Maní com a minha família e fico sempre apaixonada pelo ambiente e decoração incríveis, principalmente na área externa. É uma delícia simplesmente estar lá e ser acolhido por um staff sorridente e prestativo, isso sem falar na delicadeza dos pratos da Helena Rizzo que, vamos combinar, é igualmente encantadora. Para mim o Maní é sem dúvida um dos melhores restaurantes de São Paulo.

Não há opção de prato principal vegano no cardápio, mas eles são extremamente solícitos e fazem as adaptações necessárias. Fiquei com o ceviche de caju de entrada, simplesmente maravilhoso, e com os falsos tortéis adaptado em uma versão sem manteiga. Ah, mesmo comendo de forma comedida, saí de lá mais que satisfeita e feliz, afinal, a experiência gastronômica envolve não apenas a comida, mas também atendimento, conforto, aconchego, aromas, memórias e tantos outros quesitos, não é mesmo?

Tuju

Buquê de PANCs
Buquê de PANCs do restaurante Tuju.

Último da nossa lista, mas definitivamente não menos importante. Abre-se a porta do restaurante e logo vemos a grande protagonista do salão: a cozinha. Somos recebidos pelo Chef Ivan Ralston com enorme cordialidade e seguimos para a nossa mesa super confortável, distante das demais (o que nos concede apropriada privacidade). O salão é iluminado, talvez um pouco mais do que eu gostaria, mas isso não interfere na experiência.

Eis que somos atendidos pela simpaticíssima Fernanda, que compõe grande parte do nosso encantamento pelo local. Escolho a opção vegetariana com adaptações para que se torne um menu 100% vegano. Damos, então, início à degustação de 12 pratos com esse buquê de PANCs que supera qualquer expectativa. Para deixar a experiência ainda mais completa, sou avisada pelo sommelier sobre um vinho com certificado vegano no cardápio e nada poderia fazer uma vegana mais feliz.

Prato após prato, somos envolvidos por sabores, texturas e aromas inigualáveis. Deixamos o Tuju radiantes e completamente satisfeitos. Ah, o Tuju mexeu demais com o coração dessa vegana aqui. De todos os restaurantes dessa lista, talvez esse seja o mais vegan-friendly. Foi mágico! Menos a conta, para conhecer essas delícias tivemos de desembolsar cerca de R$ 900,00 para duas pessoas (com direito a harmonização de vinhos e outras bebidas para o meu namorado e taça de vinho vegano para mim).

Anúncios

um comentário

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.